Bandeirante e Barrense empatam e continuam na mesma posição no Municipal

Depois de cobrir partidas pelo estado de Santa Catarina, nas cidades de Seara, Blumenau, Ibirama, Brusque e Jaraguá do Sul, nesse sábado O Cancheiro (que agora tem página no Facebook) ficou mesmo aqui pela ilha formosa cheia de graça e acompanhou a partida entre Bandeirante e Barrense. A peleja, disputada no Ribeirão da Ilha, foi válida pela segunda rodada do returno da Liga de Florianópolis. O time da Barra da Lagoa tinha marcado apenas um ponto em quatro partidas, justamente na última, em empate contra o Atlético Catarinense. O oposto do Bandeirante, que ganhou três das suas quatros partidas.

Os visitantes entraram em campo com João, Rodriguinho, Gabriel, Du, Matheus, Ygor, Leandrinho, Juninho, Wallace, Bruno e Digo. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
Os visitantes entraram em campo com João, Rodriguinho, Gabriel, Du, Matheus, Ygor, Leandrinho, Juninho, Wallace, Bruno e Digo. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
O time da Barra foi ao sul da ilha com Felipe dos Anjos, Guto, Guilherme, Andrey Bressan, Roberto, Filipe, Coruja, Dunga, Flávio, Joel e Naércio. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
O time da Barra foi ao sul da ilha com Felipe Barrão, Guto, Guilherme, Andrey Bressan, Roberto, Filipe, Coruja, Dunga, Flávio, Joel e Naércio. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
Trio de arbitragem com os capitães das duas equipes. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
Trio de arbitragem com os capitães das duas equipes. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

Quem acompanhou O Cancheiro em sua estreia pelas canchas amadoras de Floripa foi o Matheus, do Desprovidos de Fama, que manja bem do futebol não-profissional de Santa Catarina. É a segunda vez que acompanhamos o Barrense pelos gramados da ilha. A primeira foi pela Copa Interligas, contra o Biguaçu, e foi relatada pelo próprio Desprovidos.

Filipe e Leandrinho brigando pela pelota. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
Leandrinho – SIM, aquele que até ano passado jogava o Catarinense pelo Brusque – e Filipe brigando pela pelota. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

O jogo começou corrido e sem muita oportunidade clara de gol. Lá pela metade do primeiro tempo, o árbitro – que, na verdade, costuma ser bandeirinha nos jogos da LIFF – começou a se complicar ao inverter marcações e ignorar um possível pênalti para o Barrense, dando um caráter mais nervoso para o jogo.

Joel entra com vontade na jogada. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
Joel entra com vontade na jogada. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

Os jogadores do time da Barra da Lagoa, em especial o meio-campista Coruja, não pouparam reclamações para o juiz improvisado. Dessa forma, a partida ganhou um ritmo mais frenético e pegado, bem ao estilo amador, com cartões sendo distribuídos para os dois lados. Porém, nada de rede balançando. Os lances se resumiram a chutes de fora da área e bolas paradas. Antes do intervalo, foi o Bandeirante que mais assustou, com uma finalização a queima-roupa e uma cobrança perigosa de falta.

Goleiro Felipe voa para evitar o gol de falta do Bandeirante no final do primeiro tempo. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
Goleiro Felipe Barrão voa para evitar o gol de falta do Bandeirante no final do primeiro tempo. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

Os gols ficaram para a segunda etapa. Depois de um bate-rebate dentro da grande área, o próprio Wallace fez para os do sul da ilha. O 1 a 0 para o Bandeirante obrigava o Barrense a ter uma postura ofensiva, visto que mais uma derrota complicaria as pretensões do time da Barra em ficar na primeira divisão do futebol da capital.

Flávio pronto para mandar a bola na área do Bandeirante. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
Flávio pronto para mandar a bola na área do Bandeirante. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

Os cartões continuaram sendo distribuídos aleatoriamente, evidenciando uma certa falta de critério do juizão/bandeirinha Fabiano em suas marcações. Lá pelos 35, a esperança do Barrense chegar ao empate teve um súbito acréscimo com a expulsão de Lipe, deixando o Bandeirante com 9 jogadores na linha. O atacante, porém, não deixou barato e arranjou uma discussão que culminou na expulsão de Guto, do Barrense. A discussão se prolongou até para o lado de fora do estádio.

Filipe, do Barrense, para na frente do marcador...
Filipe, do Barrense, para na frente do marcador…
...e passa por ele com certa facilidade (Fotos: Lucas Gabriel Cardoso)
…e passa por ele com certa facilidade (Fotos: Lucas Gabriel Cardoso)

Com dois homens a menos em campo e mais espaço para jogar, não havia outra coisa a fazer se não se jogar ao ataque para empatar e, se possível, virar o jogo. E olha que o Barrense foi bem eficiente. Menos de dois minutos depois das expulsões, Walber aproveitou rebote do goleiro João e correu para o abraço, 1 a 1. Mas ficou nisso mesmo, nem o time do sul e nem o da Barra tiveram forças para desempatar.

Não, essa foto não faz o menor sentido. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
Não, essa foto não faz o menor sentido. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

Com isso, ambos os times seguem na mesma posição em que começaram a rodada, independente dos resultados das outras partidas do grupo. O Bandeirante, com 10, continua em segundo, classificando-se para o mata-mata. Já o Barrense não saiu do último lugar e, no momento, estaria rebaixado para a segunda divisão, de onde acabara de subir no ano passado.

Saindo do Fermínio Vieira, tomamos o rumo da UFSC. Só não contávamos com um trânsito infernal na SC-405, que aumentou em mais de uma hora o trajeto. Esse tempo muito se deve à ideia genial de tentar ir pelo bairro Tapera, cruzando uma área militar. Obviamente, não fomos autorizados e tivemos que voltar pela SC-405 mesmo.

Na volta, demoramos quase uma hora e meia para chegar na UFSC. Em condições normais, demoraríamos 20 minutos. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
Na volta, demoramos quase uma hora e meia para chegar na UFSC. Em condições normais, demoraríamos 20 minutos. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

O jogo de hoje foi apenas o primeiro de uma série de 3 nesse final de semana. Amanhã é domingão, mas já tem jogo pela manhã, com a final da Copa São José se fazendo presente por aqui. Pela tarde, seguirei pela Região Metropolitana de Florianópolis, mas em Palhoça, onde Guarani e Chapecoense se enfrentam pelo Catarinense Sub-20. Fiquem ligados!

Mais fotos da estreia d’O Cancheiro nos gramados de Florianópolis:

Um comentário sobre “Bandeirante e Barrense empatam e continuam na mesma posição no Municipal

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s