Náutico vira sobre o Caravaggio e abre boa vantagem na final do Estadual de Amadores

Salve!

Passados dois meses, o Estadual Não-Profisisonal chegou à grande final e colocou duas potências regionais frente a frente: o Náutico, da Capital, e o Caravaggio, do Sul. O Santinho, no Norte da Ilha, foi o palco dos primeiros 90 minutos da decisão. Por lá, foi montada uma baita estrutura no Estádio Jair Antônio Alves, a altura da importância da peleja, para receber duas das mais apaixonadas torcidas do amador catarinense.

Nautico-Caravaggio102
O Náutico, comandado por Márcio Luz, foi a campo com: Flávio; Vini, Jonathan, Siqueira e Jean; Jackson, Marcelo e Mano (Jube); Gardena (Bruninho), Léo Campos (Pará) e Rabi (Diego Viana). (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
Nautico-Caravaggio100
O Carava, do técnico Evandro de Souza, jogou com: Pedro Paulo; Bruno Mazzuchello (Anderson), Gustavo, Henrique e Ederson (Leomir); Marquinhos (Ronaldinho Gramadense), Dudu (Matheus Laguna), Andrei e Maicon Ermo; Marcel (Brenno) e Beto Cachoeira. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
Nautico-Caravaggio101
Edson da Silva comandou o duelo, auxiliado por Diego Leonel Félix e João Filipi Neto. Júlio Cesar Pfleger foi o quarto árbitro. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

Para os locais, seria uma nova oportunidade de fazer história a nível estadual. Na década, o Náutico empilhou troféus pela Grande Floripa, mas no Catarinense acabou batendo na trave em 2011, ficando com o vice. Assim como oito anos atrás, a vaga na final foi conquistada em Itapiranga, derrotando fortíssimo Cometa – O Cancheiro esteve lá, relembre.

Nautico-Caravaggio046
A diretoria do Náutico montou uma arquibancada móvel na cancha do Santinho. A torcida fez o investimento valer a pena, com uma baita festa. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

Foi contra o mesmo Cometa, jogando em Florianópolis, que o Caravaggio ergueu sua única taça do Estadual, em 2013. Também na Grande Floripa, três anos antes, o Azulão havia ficado com o vice, ao perder nos pênaltis para o Biguaçu AC. De volta à Capital, o Carava chega com uma grande esquadra, reforçada com destaques do rival Metropolitano, atual campeão estadual – destaque para Beto Cachoeira, artilheiro e lenda do futebol sulista. Foi num histórica Clássico da Polenta, inclusive, que o Caravaggio carimbou a vaga para a final, vencendo nos pênaltis.

Nautico-Caravaggio044
Os visitantes, como de praxe, também fizeram sua parte, contribuindo para uma festa ainda mais azul no Santinho. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

Quando a pelota rolou, foi o Caravaggio que tomou a iniciativa de partir para o ataque. Tardou apenas dezessete minutos para Beto Cachoeira achar uma brecha e guardar. Após excelente lançamento de Dudu, o artilheiro matou na direita e bateu na saída de Flávio, abrindo o placar.

Nautico-Caravaggio070
Com Beto Cachoeira é assim. Uma chance, um gol. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

O Carava seguiu empenhando uma grande ofensividade para cima do Náutico. Os locais, entretanto, não se abateram com o gol sofrido, seguraram as pontas lá atrás e, através do talento individual, chegaram ao empate apenas dez minutos depois. Gardena recebeu na ponta esquerda, gingou na frente da marcação, puxou para dentro e mandou um belíssimo arremate cruzado, encobrindo Pedro Paulo. Um golaço com a marca do camisa 11.

Nautico-Caravaggio074
Gardena sacou o gol de empate da cartola. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

Com o placar igualado, o Náutico passou a se impor e viu que, apesar da nítida qualidade do rival, tinha bola e totais condições de chegar à virada. Aos 33, foi a vez de Mano puxar para a canhota e pegar na veia, mas Pedro Paulo voou no ângulo para catar e mandar para escanteio. Na cobrança, Léo Campos mandou no segundo pau, na cabeça de Jackson, que só escorou e correu para o abraço.

Nautico-Caravaggio082
O volante aproveitou a falha na defesa e nem precisou pular para cabecear para o gol, sacramentando a rápida virada do Náutico. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
Nautico-Caravaggio029
Em menos de 10 minutos, a torcida local foi à loucura duas vezes. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

Lesionado, Gardena deu lugar a Bruninho no intervalo. Márcio Luz já aproveitou a deixa e mexeu em outra peça do ataque, promovendo a entrada de Diego Viana no lugar de Rabi. Com o setor ofensivo renovado, o Náutico partiu para cima em busca de uma boa vantagem para o duelo de volta. Aos 18, a troca surtiu efeito: Bruninho tabelou com Diego Viana e bateu na saída de Pedro Paulo.

Nautico-Caravaggio011
O atacante, cria do Santinho, recebeu uma primorosa bola enfiada de Diego Viana e só deu um toquinho para tirar do arqueiro. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
Nautico-Caravaggio013
Como não poderia deixar de ser, Bruninho foi para a galera. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

Apesar da festa que tomou as arquibancadas do Jair Antônio Alves, do outro lado havia um elenco extremamente qualificado e um matador nato. Aos 37, em uma cobrança de escanteio, a bola voltou a se oferecer para Beto Cachoeira e, com espaço, o resultado não poderia ser outro: gol do Carava. Foi igualmente do córner, já aos 45, que saiu o gol que fechou o placar: Jube, outra cria do Náutico, cruzou na medida para Diego Viana testar de forma certeira para as redes. 4 a 2 e festa no Santinho.

Nautico-Caravaggio019
Sexto gol de Beto Cachoeira, artilheiro isolado do Estadual. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
Nautico-Caravaggio027
Diego Viana subiu absoluto para novamente impor uma diferença de dois gols no placar. Dessa vez, definitiva. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
Nautico-Caravaggio032
Com o apito final de Edson da Silva, a festa tomou conta do gramado. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
Nautico-Caravaggio033
Fechados os primeiros 90 minutos, o sentimento foi de uma grande vitória, a maior da história do clube, caso o caneco venha para o Santinho. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

Caravaggio e Náutico voltam a se enfrentar daqui a dois sábados, no dia 23. Para chegar ao bi, a equipe de Nova Veneza precisa golear; uma vitória por dois gols de diferença leva a decisão para a marca da cal. Antes disso, o Náutico enfrenta seu arquirrival Grêmio Cachoeira no primeiro duelo das semifinais da Liga Florianopolitana. Pela LARM, o Caravaggio só volta a campo no dia primeiro, em Araranguá, para o segundo jogo das semis – na ida, o azulão aplicou sonoros 6 a 2 no AEC.

Galeria completa dos primeiros 90 minutos da decisão

Mais fotos da festa nas arquibancadas do Jair Antônio Alves

A final do Estadual só não será no próximo final de semana pois o Metropolitano, arquirrival do Carava, estará em Curitiba, representando Santa Catarina no Sul-Brasileiro de Amadores – O Cancheiro, por supuesto, estará por lá para contar todos os detalhes de mais uma grande competição a nível não-profissional.

Até lá!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s