Grêmio goleia Gaúcho de Passo Fundo em jogo de ataque contra defesa

Buenas! Desde o princípio, O Cancheiro se absteve de cobrir times considerados grandes para focar no futebol esquecido, nos times do interior que não tem um espaço adequado na mídia. “Mas, então, que diabos o Grêmio faz por aqui?” Calma aí vivente, não é do time composto por nomes como Luan, Giuliano e Marcelo Grohe que estamos falando. Esses estão focando na preparação para o clássico de domingo, contra o Colorado. O negócio d’O Cancheiro é outro e, nessa quarta-feira, foi até Eldorado do Sul para acompanhar o time sub-23 do Tricolor pelear contra o Gaúcho, pela Copa Luiz Fernando Costa.

A gurizada sub-23 do Tricolor que saiu jogando: Léo; Raul, Dias, Denilson e Iago; Balbino, Araújo, Tilica e Lincoln; Tontini e Batosta. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
A gurizada sub-23 do Tricolor que saiu jogando: Léo; Raul, Dias, Denilson e Iago; Balbino, Araújo, Tilica e Lincoln; Tontini e Batosta. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
Depois de viajar 300 quilômetros, o Gaúcho entrou em campo com: William Lago; Correa, Marcelo, Diórgenes e Foguinho; Dudu, Jhone, Danilo e Santarém; Jorge e Arthur. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
Depois de viajar 300 quilômetros, o Gaúcho entrou em campo com: William Lago; Correa, Marcelo, Diógenes e Foguinho; Dudu, Jhonny, Danilo e Santarém; Jorge e Arthur. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

O time de Passo Fundo foi fator determinante para que eu cruzasse o Guaíba em direção ao CT Hélio Dourado, visto que, ao mesmo tempo, jogavam São José e União Frederiquense, no Zequinha. É a primeira vez que vejo o Periquito do Boqueirão em campo. A fase vivida lá pelas bandas do Planalto não é das melhores, mas já esteve pior. O clube, atualmente na terceira divisão estadual, luta para voltar à elite pampeana, de onde saiu em 2007. Desde lá, afundou-se em dívidas e, para saldá-las, viu seu antigo estádio ser penhorado e demolido. Parte dos pilas que sobraram foram destinados para a construção de uma arena – padrão FIFA -, com naming rights e tudo. Apesar do investimento e do bom time formado para a disputa da terceirona, o time foi eliminado na segunda fase, terminando a um pontinho da classificação para as semifinais – no lugar, foi o ioiô Marau, que acabou ficando com o único acesso.

Com passagens pelas seleções de base e pelo elenco principal do Grêmio, Lincoln foi um dos destaques da partida. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
Com passagens pelas seleções de base e pelo elenco principal do Grêmio, Lincoln foi um dos destaques da partida. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

No time gremista, jogadores com passagens pelo elenco profissional foram escalados para a partida. Araújo e Lincoln eram os destaques entre os que entraram em campo. Contra uma equipe forte, seria uma baita surpresa se o Gaúcho saísse com um resultado favorável de Eldorado do Sul, tal como fizera o Cruzeiro, três dias antes, em partida válida pelo Campeonato Valmir Louruz. Nessa competição, que também faz parte da Super Copa Gaúcha (entenda melhor aqui), o Gaúcho estrearia no mesmo dia, mas teve sua partida contra o Palmeirense adiada para o próximo final de semana.

A chuva da madrugada anterior deixou o gramado encharcado apenas na lateral próxima às arquibancadas e aos bancos de reserva. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
A chuva da madrugada anterior deixou o gramado encharcado apenas na lateral próxima às arquibancadas e aos bancos de reserva. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

A pelota rolou e, com pouco mais de um minuto, quase que o time de Passo Fundo cala a boca de todos que imaginavam vida fácil para o Grêmio. O camisa 10 Santarém recebeu livre, mas arrematou em cima do goleiro Léo. Dois minutos depois, o atacante Arthur cabeceou sobre a goleira. Foram quatro minutos de superioridade do Gaúcho e de um Grêmio dormindo em campo. Mas foi só. Lincoln, apontado como uma futura estrela gremista, resolveu despertar e chamou o jogo para si, tendo uma boa oportunidade aos 8, mas o chute saiu fraquinho. Um minuto depois, em cobrança de escanteio, a bola entrou na meta defendida por William Lago, goleiro com passagem pelo Inter, mas o árbitro Lucas Horn assinalou falta do ataque gremista.

O Grêmio demorou um pouco para se encontrar em campo. Mas depois que conseguiu, dominou o adversário com facilidade. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
O Grêmio demorou um pouco para se encontrar em campo. Mas depois que conseguiu, dominou o adversário com facilidade. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

Dali em diante, o que se viu foi um jogo de meia cancha, onde o Grêmio tentava de todas as formas abrir o marcador. Araújo, com sua imposição física, teve duas chances em bolas altas. Quem também cabeceou na direção do gol, fazendo o arqueiro rival trabalhar, foi Tilica, após boa jogada de linha de fundo do lateral Raul. Com toda essa pressão, era questão de tempo para o Tricolor abrir o placar. 24 minutos de jogo, para ser mais exato. Foi quando o Grêmio colocou a bola no chão, achou os espaços na defesa do Gaúcho e chegou ao gol. O time da capital invadiu a área em uma jogada bem trabalhada entre Lincoln e Tilica, que acabou em uma bela finalização de Batista, no ângulo. No minuto seguinte, Tontini quase ampliou, mas a bola encontrou o travessão e se perdeu pela linha de fundo.

O Grêmio jogava com tamanha facilidade que deixava o técnico do Gaúcho desesperado à beira do gramado. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
O Grêmio jogava com tamanha facilidade que deixava o técnico Ricardo Attolini desesperado à beira do gramado. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

A superioridade da primeira etapa foi ainda maior na segunda. O Grêmio não deixou o Gaúcho jogar. Sem reação, o time do interior dava muito espaço, de modo que, aos 10, Batista apareceu livre, em posição legal, e só teve o trabalho de driblar o goleiro e empurrar para o gol aberto. Apesar das reclamações dos visitantes, Alan, ainda meio perdido por recém ter entrado em campo, dava condição para o camisa 9 gremista marcar seu segundo gol. Logo depois, novamente em erro de posicionamento, a defesa do Gaúcho deixou Tilica sozinho, mas ele finalizou em cima do goleiro.

Batista driblou William Lago e só rolou para as redes. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
Batista driblou William Lago e só rolou para as redes. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

O terceiro gol viria naturalmente, se não fosse uma certa displicência por parte do time da capital. Aos 23 minutos, o treinador Luiz Paulo Peixoto, o Bugre, sacou Lincoln da partida e colocou o sul-africano Tyroane, ou simplesmente Ty, em campo. No primeiro toque na bola, o guri recebeu passe de Líverson e bateu, a bola desviou na zaga e tirou o goleirão William Lago da jogada. Como ainda tínhamos mais da metade da segunda etapa para se desenrolar, Bugre aproveitou que podia fazer cinco substituições e alterou todo o ataque gremista. Saíram, Tontini e Batista, além de Lincoln, para as entradas de Felipe Ferreira, Marcos Paulo e Ty. A nova formação rendeu algumas chances para chegar ao quarto gol, mas má concluídas.

O sul-africano Ty mal havia entrado quando deu seu primeiro toque na bola. E foi para o terceiro gol do Grêmio. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
O sul-africano Ty mal havia entrado quando deu seu primeiro toque na bola. E foi para o terceiro gol do Grêmio. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

Você que está lendo o relato desse jogo, deve estar pensando que a matéria é para o site do Grêmio ou que faço parte da assessoria gremista, visto que só falo do time da capital. A questão é que, de fato, o time do Gaúcho não jogou no segundo tempo. O único chute foi aos 32 minutos, de Arthur, mas nem levou muito perigo ao goleiro Léo, que seguiu assistindo a partida de dentro de campo. Quase que ele viu o quarto gol gremista no lance seguinte à chance do Gaúcho, quando Felipe Ferreira aproveitou o contra-ataque e chutou na rede, mas pelo lado de fora. O atacante gremista ainda teve outra chance, aos 40, mas bateu rasteiro, facilitando a vida do goleiro adversário.

William Lago ainda fez importantes intervenções, evitando uma goleada ainda maior. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
William Lago ainda fez importantes intervenções, evitando uma goleada ainda maior. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

Mas ficou nisso, 3 a 0 para o Grêmio e a classificação para a segunda fase encaminhada. Para o Gaúcho, resta tentar diminuir o saldo no jogo de volta, dia 12, em Passo Fundo, para tentar ficar com a décima vaga, destinada ao clube eliminado com a melhor campanha na primeira fase. Mais uma para a série de regulamentos bizarros do nosso saudoso Noveletto: campeonato de mata-mata onde o time “morto” não está, de fato, eliminado.

Tricolor foi pra cima do Periquito e agora leva uma baita vantagem para o jogo de volta, no planalto gaúcho. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)
Tricolor foi pra cima do Periquito e agora leva uma baita vantagem para o jogo de volta, no planalto gaúcho. (Foto: Lucas Gabriel Cardoso)

Feito isso, seguimos perneando pelas canchas perdidas do Rio Grande do Sul, com suas excentricidades e histórias por mais um final de semana. Super Copa Gaúcha e, quem sabe, Série C do Brasileirão darão as caras por aqui antes da volta d’O Cancheiro para seu lugar de origem: a Ilha da Magia. Até lá e um QUEBRA-COSTELA do tamanho do Rio Grande! Mais imagens da partida sob as lentes d’O Cancheiro:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s